Pular para o conteúdo principal

CONTATO COM O CEP

e-mail: 

Comentários

  1. Quero parabenizar a iniciativa de disponibilizar estudos aos que não tem acesso a uma exposição comprometida com a verdade das escrituras.

    ResponderExcluir
  2. Irmão Raimundo. Que a Graça e a Paz seja contigo.
    Chegou-me as mãos a sua tradução do Livro A Grande Tribulação de David Chilton. Sou estudioso de Escatologia faz mais de 10 anos e vejo essa obra como um deserviço aos cristãos de hoje.
    Jesus profetizou a queda de Jerusalém em Mt 24:2, mas na sequência o Senhor fala não apenas disso, mas sobre a sua volta.
    Se a Grande Tribulação fosse apenas a tomada de Jerusalém pelo Imperador Tito, Jesus então teria voltado logo em seguida, pois Ele ensina em Mt. 24:29 que "logo em seguida" à tribulação daqueles dias, o sol escurecerá, a lua não dará a sua claridade, as estrela cairão do firmamento e os poderes do céu serão abalados 30: Então aparecerá no céu o sinal do Filho do Homem, todos os povos da terra se lamentarão e verão o Filho do Homem vindo sobre as nuvens do céu com poder e muita glória, e no 31 temos o arrebatamento da Igreja.
    O Senhor nos alertou que muitos viriam em nome Dele e enganariam a muitos.
    Vejo essa obra como engano para a Igreja, pois muitos quando passarem pelo sofrimento dos selos e das Trombetas se sentirão enganados por um evangelho água com açúcar, irreal e enganador pregado por lobos que se infiltraram no meio do rebanho.
    Fico a disposição para trocar e-mails a respeito do assunto.

    pastorvaldir@outlook.com

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O PROFETA JOEL

JOEL
Pr. João Ricardo Ferreira de França* I – QUESTÕES INTRODUTÓRIAS1 - O Nome do Autor: O nome deste profeta na língua original é “יוֹאֵ֖ל(yoe’l)” cujo sentido é “eu sou Deus”[1] ou “Yahweh é Deus” temos poucas informações sobre ele. Somos informados que  o nome  de seu pai é “פְּתוּאֵֽל (pethuel)” nome que tem o sentido de “persuadido por Deus”[2] (Joel 1.1). Ele morou e profetizou para Judá (Reino do Sul). Alguns comentaristas sugerem que ele tenha sido sacerdote ou que tinha “um vínculo oficial com o templo”[3]Isto porque no seu livro há muitas referências ao “ofício Sacerdotal”[4] 2 - Data do Livro:             O erudito Judeu Ibn Ezra “considerava impossível saber quando foi escrita esta obra”[5] Calvino é de opinião similar ao declarar que “o tempo no qual ele [Joel] profetizou é incerto”[6] outro escritor informa que “as datas propostas para o ministério de Joel e para a redação de seu livro variam desde o início do nono século a.C.”[7] As datas para a escrita do livro variam de 83…

A HERMENÊUTICA DA REFORMA

CENTRO DE ESTUDOS PRESBITERIANO www.centrodeestudospresbiteriano.blogspot.com.br . A HERMENÊUTICA DA REFORMA. Prof. Rev. João França* Introdução: No estudo anterior estivemos avaliando a história dos primórdios da interpretação das Escrituras. Vimos como o Antigo Testamento foi interpretado e também observamos os primórdios da interpretação cristã do Novo Testamento até os primeiros pais da igreja. Neste estudo iremos continuar a nossa jornada interpretativa em três importantes períodos da história da interpretação: A Idade Média; o período da Reforma Protestante e por fim, avaliaremos a interpretação atual. I – A INTERPRETAÇÃO BÍBLICA NA IDADE MÉDIA. Consideremos agora o período da Idade Média no que respeita a tarefa da interpretação bíblica. Kaiser lembra-nos que neste período “muitos membros do clero, sem falar nos leigos, eram ignorantes até mesmo sobre o que a Bíblia dizia”.[1] Neste tempo “A interpretação foi amarrada pela tradição, e o que se destacava era o método alegórico.”[2] A …

A INTERPRETAÇÃO DO APOCALIPSE

A INTERPRETAÇÃO DO APOCALIPSE Rev. David Chilton Tradução: Rev. João Ricardo Ferreira de França.
            Logo de inicio, enfrentamos dois problemas quando tentamos estudar o Apocalipse. O primeiro é a questão de estarmos seguros de que a nossa interpretação é correta – colocando limites em nossa imaginação para não forçar a Santa Palavra de Deus a entrar em molde de nossa própria invenção. Devemos permitir que o livro de Apocalipse diga o que Deus pretendeu  dizer. O segundo problema é a questão da ética – que fazer com o que temos aprendido. O modelo bíblico de interpretação.             No próprio versículo primeiro de Apocalipse, João nos proporciona uma importante chave interpretativa: “Revelação de Jesus Cristo, que Deus lhe deu para mostrar aos seus servos as coisas que em breve devem acontecer e que ele, enviando por intermédio do seu anjo, notificou ao seu servo João,” (Apocalipse 1.1 ARA). O uso do termo “Notificou [declarou]” nos fala que a profecia não deve ser considerada s…